Desativar para: inglês

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Excluir o glúten virou moda, mitos revelados sobre a dieta sem glúten

Há tempos as pessoas com intolerância ao glúten, a doença celíaca, têm se esforçado para se acostumar a uma dieta restrita e equilibrada com a ausência do ingrediente. O motivo é simples: o glúten está por toda parte!
 

A dieta se tornou mais popular do que nunca e passou a ser adotada não apenas por recomendação médica, mas também por pessoas que buscam perder os quilinhos indesejados.


Trata-se de uma proteína presente em muitos grãos, na farinha de trigo, centeio, cevada, malte e aveia. Isso significa que os celíacos não devem consumir alimentos comuns no nosso dia a dia, como pães, massas, biscoitos, cerveja, entre outros.

Publicidade
Com isso, muitos mitos passaram a surgir sobre o assunto. Afinal, a dieta livre de glúten é realmente eficaz para a perda de peso? A nutricionista Denise Real esclarece cinco dúvidas e desvenda fatos que cercam a dieta sem glúten e, na verdade, não passam de mitos.

Confira:

Mito 1: dieta sem glúten ajuda a emagrecer?
Se você achou que cortar os alimentos que contêm glúten seria a solução para a perda de peso, se enganou. Segundo a nutricionista Denise Real, a dieta sem glúten não necessariamente ajuda a emagrecer

Isto porque vários produtos livres de glúten têm a mesma quantidade de calorias que as versões convencionais. A exclusão deste ingrediente do cardápio só está associada à perda de peso por um motivo simples: eliminá-lo da dieta faz com que as pessoas fiquem longe de vários alimentos que engordam, como pizza, cerveja, hambúrguer, massa e pão.

Com a substituição desses alimentos por escolhas menos calóricas, como frutas, vegetais, arroz integral, oleaginosas, peixes, ovos, leite, entre outros, a perda de peso acontece, causando a falsa impressão de que o glúten é o vilão. E a especialista salienta: para quem busca perder peso, o caminho ideal é fazer boas escolhas alimentares, incluindo no cardápio frutas, legumes, verduras e carnes magras. Se engana quem pensa que a retirada do glúten é a solução para isto.

Mito 2: o glúten é um vilão da alimentação?
Esta afirmação é um grande mito. O glúten só é realmente prejudicial às pessoas que têm hipersensibilidade a ele. Quando consumido por pessoas com doença celiaca, o nutriente interfere seriamente no intestino delgado, e causa uma inflamação que impede a absorção de vitaminas e minerais. 


Além disso, pode ter sintomas como diarréia crônica, vômito, falta de apetite e distensão abdominal. Por isso, quem sofre com a doença celíaca não pode ingerir alimentos nem com menores quantidades de glúten. No entanto, isso não vale para quem não tem a doença. Neste caso, o consumo de glúten não oferece problemas à saúde.

Mito 3: todos podem se beneficiar de uma dieta sem glúten?
Muitas pessoas que nunca tiveram problemas de sensibilidade ao glúten estão cortando o ingrediente da dieta, mas é fato que nem todos se beneficiam disso. Quando há sensibilidade ao ingrediente, as pessoas que retiram da dieta podem sentir mais energia, dormir melhor e ter a sensação de bem-estar. 


Mas isso não significa que quem não tem doença celíaca terá os mesmos benefícios – não há evidências sobre isso. Por isso, segundo a nutricionista Denise Real, o único motivo que deve levar alguém a excluir o glúten de sua alimentação é ser portador da doença celíaca.

Mito 4: eliminando o glúten, você perde nutrientes que não pode encontrar em outro lugar?

Ao contrario desta afirmação, é possível encontrar os nutrientes presentes em alimentos com glúten também nas opções livres dele. No entanto, essa é uma tarefa muito difícil. 


Segundo explica Denise, o glúten é uma fração protéica de alguns cereais que oferecem muitos outros nutrientes ao organismo, como fibras e vitaminas, principalmente do complexo B. Por isso, banindo-o da dieta, é preciso prestar muito mais atenção no que está comendo e manter uma dieta equilibrada para compensar, com outros alimentos, todos os nutrientes perdidos.

Mito 5: alimentos sem glúten são sempre saudáveis?
Não é porque um alimento não tem glúten que vai deixar de ter gordura, açúcar ou ingredientes ruins para a saúde. Além disso, muitas alternativas sem glúten são ainda mais calóricas do que as versões comuns. Às vezes, para compensar o ingrediente ausente, esses produtos são ricos em gorduras e sódio.

Agora que sabe mais sobre esta dieta, reflita se esta é a melhor alternativa para você. Lembre-se:
a melhor forma de alcançar um emagrecimento saudável é aliar uma alimentação balanceada, que forneça todos os nutrientes de que o organismo precisa, à prática de atividade física.


Publicidade

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...