Desativar para: inglês

domingo, 18 de junho de 2017

Confira alimentos que podem aumentar a crises de enxaqueca

Se sofre de enxaquecas ou dores de cabeça, deve saber que a sua alimentação tem muita influência neste género de problema. Tal como um pequeno-almoço farto pode provocar dores de cabeça, também alguns alimentos contribuem para o surgimento destas dores, pelo que vamos ver que alimentos são esses.




Publicidade
No grupo das carnes, devemos evitar, se padece de dores continuas, os enchidos tais como o presunto, salsichas ou salame. Também é conveniente evitar as carnes enlatadas ou em conserva, tal como os preparados congelados, como por exemplo os hambúrgueres.

Causas que mais tem chamado a atenção, já que estima-se que cerca de 30% das enxaquecas têm algum tipo de relação com alimentos e bebidas que alteram as funções do organismo.

Sabendo tudo isso e considerando que todos corremos os mesmos riscos, é interessante conhecer quais são os alimentos que podem causar a dor de cabeça. Desta forma será mais fácil evitá-los, principalmente quando estivermos passando por situações de estresse, por exemplo.

Quais são estes alimentos?
 
Embutidos e frios: as carnes embutidas, os frios e outros alimentos de origem industrial costumam conter nitratos e nitritos, substâncias que permitem conservá-los frescos e atrativos, mas que também podem ser relacionadas ao aumento das enxaquecas e do mal-estar no cérebro.

Café: ele e o cérebro vivem uma relação quase sempre de amor. Tanto é que, na maioria das vezes, é a falta de cafeína que causa panes — aliás, ela até está presente em vários analgésicos justamente por potencializar a ação de alguns princípios ativos.

Por outro lado, o exagero faz mal especialmente aos pouco habituados, mas não só a eles. “Beber quantidades maiores do que 400 miligramas por dia aumenta o risco de a ansiedade aparecer mesmo se a pessoa estiver acostumada, o que piora a enxaqueca.

Os especialistas recomendam que o consumo fique em no máximo três xícaras por dia. Vale lembrar que há cafeína também nos refrigerantes, suplementos de academia e em outras bebidas.

Realçadores de sabor:
aditivo alimentar mais associado ao transtorno é o glutamato monossódico. A substância tem vocação natural para atuar na massa encefálica. O que se acredita é que a presença dele excita o sistema nervoso, ocasionando a dor.

No entanto, o ácido glutâmico, a base desse ingrediente, está presente naturalmente em alimentos como carnes, queijos e alguns legumes. Por isso, é difícil dizer se é ele mesmo o culpado. Parece que a encrenca se dá com a versão feita em laboratório e encontrada em congelados, no molho de soja e em outros industrializados.

Salaminhos e companhia: aqui o culpado é outro composto químico: o nitrito, usado para preservar a cor rosada e dar sabor curado e defumado ao bacon, à salsicha e a embutidos em geral. Em excesso, ele favorece a vasodilatação, o que não é ruim — a menos que você esteja entre os 15% dos brasileiros que têm enxaqueca.

Nesse grupo, o relaxamento dos vasos quando o sangue passa causa dor porque as terminações nervosas que recobrem esses caminhos estão hipersensíveis. Aí qualquer onda é percebida como um tsunami. Mas vale esclarecer que a vasodilatação é precedida por outros fenômenos e não é a causa em si do problema. Agora, a influência do nitrito sobre outras substâncias pode ocasionar uma crise até seis horas depois de ele ser ingerido.

Álcool: não é preciso nenhum estudo para perceber que a bebedeira bagunça a cabeça. Por isso, vale aqui uma diferenciação. Há a dor da ressaca, causada pela desidratação e por outros efeitos do abuso de álcool no organismo, e há a enxaqueca disparada por drinques específicos, quando basta uma dose para estragar a happy hour. Nesse quesito, o campeão é o vinho tinto, cheio de moléculas benéficas para as artérias, mas disparadoras de dor para alguns azarados. E, diferentemente do que muita gente pensa, não é a qualidade ou a origem da bebida que fazem estrago.

Um estudo já comparou as queixas depois de goles de rótulos nacionais e importados e viu que mais gente reclamava após tomar o vinho francês. Também, entram no rol inglório de perturbadoras da paz cerebral a vodca, a cerveja e outras bebidas fermentadas.

Parece haver uma ação das aminas presentes no líquido em alguns neurotransmissores envolvidos no desenvolvimento da crise. Nesse caso, não tem muita solução a não ser cortar as taças da rotina até que o problema esteja sob controle. Já para evitar a dor de cabeça comum, a dica é tomar água entre as doses e não brindar de barriga vazia — além de beber com moderação, sempre.

Conservas de peixe: as conservas de peixe contam com uma grande concentração de aminas biogênicas como a histamina e a feniletilamina, cujos excessos no corpo causam dores de cabeça.

Como dissemos no início, este sintoma pode ser originado por variadas causas. No entanto, é conveniente evitar ao máximo todos estes alimentos para reduzir o risco.

Comida chinesa: a comida chinesa é muito deliciosa e costuma ser perfeita para muitas ocasiões especiais, no entanto, se você é um paciente de enxaquecas recorrentes, o melhor é evitá-la.

Este tipo de alimento aumenta a pressão na cabeça porque contém glutamato monossódico e temperos que causam dilatação nas papilas gustativas e aumentam a atividade cerebral, causando a dor.

Sal: os alimentos com grandes quantidades de sal não só são prejudiciais para a pressão arterial, como também aumentam as chances de termos enxaquecas e dores de cabeça.

Isto ocorre porque eles provocam retenção de líquidos nos tecidos do corpo, um transtorno que causa desequilíbrio nos processos inflamatórios do organismo. 

Figos enlatados: os figos enlatados podem parecer uma alimento saudável, mas não são os mais apropriados para aqueles que sofrem com as enxaquecas.

Seu conteúdo de tiramina estimula os vasos sanguíneos do cérebro e aumenta as chances de surgimento da dor.

Sorvete: um delicioso e doce sorvete provoca uma sensação de bem-estar ao estimular os neurotransmissores que causam a felicidade. No entanto, ele pode causar efeitos contrários, especialmente para aqueles que sofrem com enxaquecas e fortes dores de cabeça.

Como contém gordura e é muito frio, atua sobre o sistema nervoso até causar a dor. Isto acontece porque o sorvete exerce uma ação vasoconstritora e vasodilatadora que atua sobre o cérebro.

Chocolate:
chocolate amargo é um alimento saudável que, em porções moderadas, é excelente para o cérebro e para a pele. Eis um clássico na lista. É que o cacau contém teobromina, substância com efeito estimulante e vasodilatador também encontrada no vinho tinto — e algumas pessoas são sensíveis a ela. O chocolate branco até tem essa molécula, mas em menores quantidades.

E há ainda uma associação curiosa nessa história: o desejo incontrolável pelo doce. Muitos dizem que o chocolate foi o estopim, mas na verdade a própria fissura já é um sinal do comportamento alterado que precede a crise de enxaqueca em 60% dos casos.

A fase que antecede o sofrimento é chamada de pródromo e começa até dois dias antes da dor em si. Além da vontade intensa, durante esse tempo é normal sentir alterações de humor, como irritabilidade, euforia e picos de energia, sem contar perrengues como enjoo.

O quadro ainda está sendo investigado pela ciência, mas já se sabe que provoca alterações no hipotálamo — importante região do cérebro que comanda a resposta emocional ao metabolismo — e diminui o nível de alguns neurotransmissores.

Queijos: embora os gordurosos levem a fama, qualquer variedade é capaz de ofender o sistema nervoso dos mais suscetíveis. Como são derivados lácteos, todos os queijos possuem componentes que servem de gatilho à dor, a exemplo de proteínas grandes demais para serem digeridas e potencialmente alergênicas. Nos organismos mais sensíveis, essas proteínas são confundidas com agentes agressores e atacadas pelas defesas do corpo, numa reação em cadeia que leva ao desconforto.

Mas a balança pesa mesmo para os tipos mais calóricos, caso do gorgonzola e do parmesão, e os curados e envelhecidos. Ainda não temos muitos estudos sobre os mecanismos desse processo, mas parece que a própria gordura, presente em maiores quantidades, favoreceria o ataque. Sem contar que o queijo tem tiramina, componente encontrado em outros itens desta lista negra como o… vinho!
 
Publicidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...